Quarta-feira, 11 de Abril de 2007

Revivo, reviro, renasço, recorte.

Vira, desvira, sangra o corte.

Vento sul, vento norte.

Passam por aqui.

E eu, a morte, sem destino.

 

Elegi você

Para ídola, musa, mulher, desejo, loucura.

(amor é desrazão)

Colei teu retrato na parede

Brancura na imensidão.

(Ventura da solidão)

 

Te observo, te cerco

Na minha boca dorme o seu nome.

Gana, tesão, necessidade, fome!

É meu manifesto.

 

Cada palavra que cai no papel

Ao se juntar e girar

Constrói minha torre de Babel.

Infinito particular aonde eu me tranco.

O meu canto.

 

Mas lá vem você, etérea

Invadindo o meu mundo

O choque do seu cheio de donzela

Esbarrando com meu odor imundo.

Que bom que você veio!

Te busquei em sonhos!

Te construí castelos!

Sei desde já, que você vai embora.

(sempre vão, aprendi)

(não me ensinaram, mas aprendi.)

 

Mais: Cansei de esconder o coração.

Se ele pulsa – que pulse!

Repulsa. Que pulse!

Que seja pela dor do desejo vão.

(“viver é desejar,desejar é sofrer”)

 

Eu desejo você.

Sua carne, seu pensamento, seu desejo.

Tudo meu. Tudo mesmo.

Minha virgem blasé.

O rosa claro da minha amplitude cinza.

 

Você se cansa.

Fecha a porta e vai embora.

Hora. Demora. E agora?

Não choro. Sabia que seria assim.

A minha vida é sempre o fim.

 

Você foi

Mas já ficou.

Me deu cicatrizes, novas feridas

Abertas, com moscas e sangue, umidecidas.

Não serão esquecidas.

(Nunca!)

 

A culpa é minha.

Deixei você entrar e sair

Da minha vida, do meu lar.

Você, mocinha.

Parta-te daqui

(Não, não só de fora, mas de dentro de mim)

Você é a coisa mais fútil que já vi.

(Foge! Foge do amor, da dor, da vida! Vai, covarde)

(Vai viver o seu efêmero e breve, vai.)

 

 

 

 


música More than words - Extreme

publicado por Juliana Correia às 15:46 | link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De piu a 11 de Abril de 2007 às 16:53
fome de TUDO( eternamente exagerada), principalmente de coisas maravilhosas, como esta que acabo de ler.

ta MUITO bonito juh!


De Mila a 11 de Abril de 2007 às 17:33
Amor é a desrazão.Melhor frase desse poema pra mim. É muito dificil saber se conformar e afirmar pra si mesmo que esta apaixonado,deixar esse ir e vir sem razão alguma.

Lindo o texto Ju!!!


De Vinicius a 11 de Abril de 2007 às 18:18
falar aquela mesma coisa que eu tinha te falado quando voce me enviou o poema pra eu ler. Está demais, como todos aqueles que você escreve...
que você continue escrevendo assim, registrando os seus momentos de inspiração e fazendo com que cada um que venha aqui ler, te admire cada vez mais.
=***


De Anónimo a 11 de Abril de 2007 às 21:15
"viver é desejar e desejar é sofrer"...
as vezes penso que melhor ter sofrido por ter vivido do que ser saudável (uma alma sem feridas) e e não ter aprendido nada... preferir viver a ficar como estátua - sem desejos, sem dor, sem uma mínima felicidade, já que só percebemos-na se sofremos para alcaça-la...

muito lindo minha flor...
vai para minha pasta de textos preferidos...
grande beijo =*
senti sua falta hoje


De Larissa a 11 de Abril de 2007 às 23:57
ps: fui eu...


De Mitchell a 12 de Abril de 2007 às 00:18
Não entendi nada...
...mas achei legal.

Namaste



Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds