Sábado, 22 de Setembro de 2007

Fernanda colocou um short jeans, pegou a bicicleta e saiu por aí. Rabo de cavalo e brisa do mar. Ela não precisava renegar nada - nem ela mesma! Tudo tinha se colocado nos devidos lugares das coisas bem resolvidas. O mar, a orla, as pessoas indo e vindo, o sol - tudo aquilo apenas refletia a paz interior. Ela tinha conseguido inclusive achar uns dois meninos bonitos no trajeto. Não que ela fosse investir, mas a liberdade de conseguir ter vontades tinha um incalculável absurdo valor! Era bom ter um coração livre, sem amarras de amargura ou sem prisões do passado. O que passou, já tinha ido embora e agora que o viesse, diria. Ela estava esperando para escutar.

Estacionou a bicicleta ao lado de um quiosque de coco e pediu uma água. Encostou-se para olhar o mar. Adorava as ondas! Eram uma metáfora tão clara do vai e vem da vida, e no fim, eram sempre ondas. Enchiam a praia, esvaziavam a praia, vinham pequenas, maiores, derrubavam castelos ou limpavam a areia - mas eram sempre ondas. Ela também era assim, as vezes meiga, as vezes implicante, as vezes sensível em demasia, as vezes mais simplista do que deveria, as vezes tempestade, em outras calmaria - mas sempre Fernanda.

Ficou vendo o sol descer sob o mar, encantada com a possibilidade de sorrir de novo perante pequenas coisas. As vezes no meio do ciclo não percebemos que há saída, mas os ciclos sempre acabam para que outros comecem.

 

E foi assim, que ao se virar para pegar a bicicleta, ela se bateu com um menino de sorriso tão bonito....


música Vanessa da Mata - Quem irá nos proteger?

publicado por Juliana Correia às 21:08 | link do post | favorito

De Hailton Andrade a 23 de Setembro de 2007 às 01:04
Fazia um tempo que não comentava aqui. Continuo lendo. Muito legal a história, tanta singeleza. Diria, até, libertadora para quem a lê. Obrigado.



Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds