Terça-feira, 3 de Julho de 2007

Em grande parte do meu tempo fico pensando sobre a vida. Não a minha, ou a sua, apenas o existir de maneira geral e as coisas inerentes a existir na sociedade atual. As conclusões são tão variáveis, tão variadas e tão rápidas se concluem, que queria ter uma impressora no cérebro para poder guardar todos os pensamentos, podendo compará-los depois afim de ter conclusões mais contudentes.

Eu acho que tudo pode ser pra sempre - embora isso nem sempre seja saudável. E justo por poder não ser saudável, é egoísta. Qualquer amor pode dar certo, embora a gente nem sempre prefira esse  caminho. Quanto mais se caminha para o futuro, com mais rapidez as coisas fluem e são trocadas. Um celular a cada mês, sexo no primeiro encontro, substituição fugaz de tudo e todos. Tecnologia e avanço - alguns dirão. Necessidade masculina de espalhar seus genes por aí, pura biologia - replicarão outros. A questão imediata é: pra que toda essa velocidade? A vida é muito rápida - talvez você me responda.  Mas, quando o mar parece grande e até assustador pela constante e rápida troca de ondas, não parece reconfortante ter um porto seguro?! Na minha humilde opinião, sim.

Um amor eterno não é fácil, uma relação eterna não é fácil, e hoje em dia pode vir a ser sinônimo explicativo da palavra escassez. "Ahhh, ele tá muito briguento esses dias. Vou acabar. Quem merece esse estresse?". Alguém deve merecer, mas não você, que acorda todo dia cheirosa, que não tem tpm, mau humor, nunca briga com os pais, não tira notas ruins ou recebe multas de trânsito. Não você, que não é orgulhosa, que não é teimosa, que não é egoísta, nem tem interesses mundanos e nunca precisa de espaço para ficar a sós com a sua consciência. Tudo é uma questão de vontade, de desejo, de paciência - do blábláblá do amor.

Pode, portanto, não ser saudável investir em um relacionamento, pois ele terá fases e nunca trará as certezas de que os dois se apóiam no mesmo barco pelo mar com a mesma intensidade. A gente nunca sabe quando o outro vai querer pular. Mas pode também não ser saudável, porque nem tudo serão flores, nem tudo serão borboletas e nem tudo será lindo - por mais que em todos os orkuts de casais "cada minutinho ao seu lado seja mais especial que o anterior", na prática nem tudo é um mar de rosas, convenhamos - e é dolorido saber que haverão dias tristes, dias estranhos, dias de briga e também dias sem explicação - e que a isso estamos nos propondo de bom grado. Haverão crises e desentendimentos, e lágrimas rolarão. Mas é egoísta desistir de alguém justamente por sua condição humana de instabilidade.

 

Se o amor for para sempre, a  relação também pode ser.

:)

 



publicado por Juliana Correia às 14:36 | link do post | favorito

De Laís a 4 de Julho de 2007 às 14:19
Muito bom!!! Vc fala de mim, mas eu é que sou sua fã, Ju!!!!!!! Adorei o texto... lindo mesmo!!!!!
Beijooooooooooooooo
:*


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds