Terça-feira, 19 de Maio de 2009

Quando o peito se aperta não tem jeito: a voz não sai, as horas se esticam compridas, o tempo pirraça e parece não passar, as interrogações viram tratores megalomaniacos que fazem questão de derrubar todas as paredes seguras. O coração bate rápido demais, a estagnação domina o corpo físico e também a alma que habita o interior, as mãos suam, o calor se instala, a tossa engasga e as lágrimas descem jorrando.

A angústia é um não saber psiquico-emocional que se imprime em toda a extensão do corpo para que todos possam ver. Ela não tem motivo pra começar, mas depois que inicia sua bola de neve cada vez mais redonda morro abaixo, nada passa ileso - tudo vira questionável.

 

Tempo, tempo, tempo, mano velho - passa rápido e segura essa vai, por favor.



publicado por Juliana Correia às 22:43 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds