Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

nosso signo, nosso laço
todo dia eu faço
(e re-faço, porque não?)
quando penso meus braços em teus braços
eternizados,n'um poema ou n'um dedilhar de violão baixinho

nosso destino
eu traço
enquanto persigo a tua trama
no sossego de uma rede
depois de um abraço
ou rolando na cama, depois do sargaço
salivando a sede
que não cede
curtindo o cansaço.

cola tua boca no meu ouvido
e me conta as histórias
cola tua mão na minha mão
e me dá sentido e me dá custódea
cola tua vida na minha vida
e me dá certeza e solicitude
cola-te em mim
que de te amar como pude
estanquei o coração
pra morrer um pouco menos, morrendo na emoção.



publicado por Juliana Correia às 00:26 | link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De jv a 6 de Maio de 2009 às 01:59
tava inspirada nesse poema.... muito bom, de verdade.


Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds