Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

todas as coisas que são você

(e você que é e toma forma em todas as coisas)

me perseguem e me fazem não caber

no teu jeito, no teu texto, na tua saliva

no teu óculos, na tua mão, na tua postura lasciva

entre eu e as rivais

preferi meus ideiais

abri mão do teu cheiro, presença e de qualquer perspectiva

mas é assim que eu sei levar a vida

com certezas bem compridas

que não dançariam de mãos dadas

com as suas posturas descordenadas.

deixo as coisas não vividas

inclusive as que queria viver

um pouco de lado, esquecidas

mas ninguém pode prever nem entender

todo esse redemoinho que são meus sentimentos

toda a ausência de nossos momentos

que não foram, não são e não serão -

você podia ter sido pão, canção, tesão, coração, inspiração, motivação

mas agora é apenas um não.

 

 



publicado por Juliana Correia às 01:46 | link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De xu a 1 de Setembro de 2008 às 03:19
minha cara esse post! HAHAHAHAHAHAHAHA!
te amo!


De xu a 1 de Setembro de 2008 às 03:21
minha cara esse post! hahahahahahah!
te amo!


De sara maria a 5 de Setembro de 2008 às 15:53
Muito bom mesmo!


Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds