Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

Perdão a gente planta

E espera que o tempo e o vento

Venham semear.

 

Perdão nasce aos poucos, com sopros de coragem

E quando a gente percebe, a ferida que tanto já nos corroeu

Cessa de sangrar.

 

Perdão não é algo a ser pedido

É algo que vamos interiorizando, que vai sendo construído

Até se fazer resolvido, pronto para se dar.

 

E de repente- não mais que de repente

A gente sente aquele soluço na garganta, aquela abertura no coração

É o perdão indo se entregar.

 

E a gente se dá conta, que ao contrário do que dizem

Perdoar é esquecer

E é também se renovar, dar - se nova chance de ser livre

Para ter fé e coragem de nas coisas acreditar.

 

E assim ao lhe conceder meu perdão

Eu também me perdoo - com amor e serenidade (traços ligados da maturidade)

Pela minha culpa que eu não soube aceitar, pela minha dor que eu não soube administrar

E me perdoo por ainda ter feridas que não deixo cicatrizar.



publicado por Juliana Correia às 22:43 | link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De Vinicius a 2 de Novembro de 2007 às 02:47
Teve cara de prosa no inicio, mas com um 'closing' de uma verdadeira poesia.

Coisas que só voce faz. Beijo


De Mila a 3 de Novembro de 2007 às 18:17
essa é uma arte que todos deveriam praticar: o perdão.


De Helio Lambais a 4 de Novembro de 2007 às 17:35
Bom, apesar de eu não gostar muito do tema a sua escrita está bem interessante !!!!!

Vc é a linda escritorinha ! =)

Bjus


De peu a 6 de Novembro de 2007 às 00:19
pois eu prefiro sempre ficar futucando o cascãozinho. :) :*


De Luis a 6 de Novembro de 2007 às 18:19
Engraçado, eu tava pensando sobre isso agora. Por causa da novela das 14h(sério).

Eu não sei não perdoar as pessoas, uma das piores sensações que eu já experimentei é a de mágoa.

E discordo(talvez tenha entendido errado) que perdoar é esquecer. Quem esquece, pode lembrar. Acho que perdoar tem mais a ver com auto-compreensão e com empatia.


De sanção a 6 de Novembro de 2007 às 18:49
Olá.

A tempos não visito os blogs e quando volto a visitá-los, encontro pérola como essa poesia.
Perfeitamente escrita e sentimentalmente concreta. Nada de hipocrisias sobre o perdão. O que tem nesse texto é o que muitos não entendem: que o perdão se constrói.
Bom, o que eu posso dizer, você está melhor do que antes! Muito parabéns mesmo!

Bjos e nos encontraremos no msn (com todo o respeito) para batermos um papo


De Hailton Andrade a 8 de Novembro de 2007 às 00:15
Perdoar, algo complicado na vida de muitas pessoas. Na minha então, sou tão orgulhoso.

"Perdão a gente planta
E espera que o tempo e o vento
Venham semear."

Esse seu início já explica tudo, que maestria!

Beijos Ju!

ps: Não paro de escutar Maria Rita, graças a vc! Esse cd ficou muito bom!



Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds