Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

Não escolho o amor.

Se eu o escolhesse, talvez tivesse pré-requisitos básicos. Faria uma lista no caderno. Juraria solenemente não amar ninguém que acordasse cedo e sorrindo nos fims de semana e jamais me perderia pensando em alguém que disesse que Lula é um bom político ou que sabe governar o país ou que ele é inocente. Encabeçaria uma lista de pretensões do tipo "desejo alguém que" : já leu mais de vinte livros de autores úteis na MINHA concepção (êta ser humano egocêntrico..mas vamos lá: lispector, saramago, garcia marquez, neruda, etc ), ama o lirismo sutil de amarante e caetano, alguém que curta botecos, use all star sem lavar e deixe a barba crescer e ainda assim, apesar do aparente desleixo (charmoso..), alguém que me traga café na cama, me veja descabelada acordando e seja capaz de me achar linda e principalmente de me fazer sentir assim. Alguém que não resista a mim - sexualmente, intelectualmente, dialogicamente, dualmente. Alguém que compreendesse que essa minha carapuça de auto suficiência toda é puro medo de me entregar e me machucar e soubesse, portanto, lidar com ela - "não, claro que você não vai sozinha pra casa, nem vai pegar taxi nenhum";"oi amor, já chegou em casa?" e essas coisas casal-ecati que eu finjo que não gosto, mas acho lindo beeeem lá no fundo (porque eu também sou um pouco menina meiga, afinal..). Quem não acha que intriseco e acarretado ao gostar vem o cuidar, proteger, preocupar?!

Mas ainda bem que no amor as escolhas não se dão por esses motivos. Como disse Jabour não se ama um cabelo perfumado ou alguém que saiba cozinhar. Não sei o que se ama, mas me felciito com a incerteza de amar sem precisar saber pelo quê. Senão,para quantas pessoas maravilhosas e escancaradamente diferentes de nós, nos entregaríamos? E quantos sorrisos verdadeiros não teriam existido?

Mas o amor é uma loteria, não se explica, se sente e quando ele se coloca no coração, já era. Não importa a visão política, o time de futebol,se um gosta de sol e o outro de dormir, um ama a neve e o outro o mar, nada disso interessa, nada - porque mesmo quando ainda há racional que se importe o amor fecha os olhos e finge que não está vendo - mas calma, ele não é cego, é só como um autista vivendo uma imaginária e distante experiência (ir)real - e diversas vezes, apenas temporária.

Colocando os pés no chão, na condição de vítima-algoz do amor, eu só digo que quero alguém que me goste, me deseje muito e que me faça feliz, ou melhor, mais feliz do que triste - porque todo o resto, se eu achar que vale a pena eu tolero. (não sem uma chateação ou outra, né?)


música Caetano Veloso - O quereres

publicado por Juliana Correia às 16:43 | link do post | comentar | favorito

9 comentários:
De Mila a 22 de Outubro de 2007 às 18:34
Verdadeiramente? AMEI. Você disse em poucas palavras tudo que eu queria, não só eu, né? Falou lindamente pelas mulheres...espero que um dia os homens parem de tentar entender as mulheres, que apenas as amem!


De Lali a 22 de Outubro de 2007 às 21:16
"eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida..."

texto lindo! você é foda (no melhor sentido da palavra!).
:*

beijos!!!


De Hailton Andrade a 23 de Outubro de 2007 às 01:23
Nossa, seu texto me remeteu a aula de Teorias de Comunicação que tive hoje. Falamos sobre Teoria Estética, essa coisa de não podermos explicar certas coisas, coisas que emocionam. A sensiblidade humana.

Seu texto está muito humano, belo.

p.s.: adorei o trecho, "Não importa [...] o time de futebol". Só por encontrar essa palavra num de seus textos. Algo que me fascina. rsrsrsrsrs

Beijos Ju!


De Helio Lambais a 26 de Outubro de 2007 às 00:41
Nossa.... que texto maravilhoso.... vc é minha favorita sempre.....
Me identifiquei muito com o all star sem lavar, do boteco e do lirismo... =)
Vc me ama??? ahehehehehe

te adoro mocinha lindinha !

Bisous


De peu a 27 de Outubro de 2007 às 14:38
eu li o texto e fui comprar um all star só pra deixar ele sujo. só que não tinha branco. queria usar um branco só pra ser pseudo-intelectual.
serve preto ? :*
te adoro.


De Michele a 27 de Outubro de 2007 às 20:02
Hei, OLha que fantástico, temos um blog com o mesmo nome!
Passa lá e não esqueça de bater as botas na saída!

Até!


De Vinicius a 28 de Outubro de 2007 às 15:00
Voce sempre me surpreende com esses textos. Sabe por que? Porque cada um é melhor que o outro. Parabens..

beijao, saudades!


De daiani ferrari a 30 de Outubro de 2007 às 17:21
Perfeito.
É como eu sempre digo... alguém que me faça mais alegre que triste... pq triste é algo que não sou...
coisa simples que as pessoas complicam...
bjo!


De texto grande de mais a 16 de Março de 2010 às 03:38
nem li :]

bjs


Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds