Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

meu humor perambula por aí

totalmente dependente da sua vontade

meu emocional já instável

hoje é irracional, beirando da loucura a margem.

 

eu me irrito ainda mais

com a minha postura - da qual discordo

a qual não me apetece, a qual me desconcerta, a qual eu odeio.

se fossem eu outrém, eu não toleraria, criticaria - com ódio.

 

alguém vende paz?

alguém empresta razão?

eu era poeta, hoje sou incerta

toda torta de coração.

 

 



publicado por Juliana Correia às 14:59 | link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Mitchell a 8 de Outubro de 2007 às 18:53
Tenta desentortá-lo, jou.

No que tange a beleza do texto, nem preciso comentar...

Saravá!


De Mila a 8 de Outubro de 2007 às 21:47
LINDO, NO QUESITO POESIA...VC É DEMAIS. O MELHOR É QUE SEMPRE DÁ PRA VER A JULIANA DENTRO DOS TEXTOS DA MESMA.


De Vinicius a 10 de Outubro de 2007 às 17:44
"quantas incertezas posso carregar?"

tambem me pergunto isso. Otima poesia, como sempre. Eu gostei mais da que você posto logo abaixo dessa. Isso não quer dizer que eu não tenha gostado dessa, apenas o lance de se identificar mesmo.

Muito linda, parabens! Beijos pra voce!


Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds