Terça-feira, 19 de Junho de 2007

Ela abriu a porta e foi logo descuidadamente despejando as coisas no chão. Se jogou confortavelmente no sofá da sala e levou as mãos a cabeça. A cabeça latejava. Como ela podia ter deixado as coisas chegarem aquele ponto? Como podia estar se portando como uma adolescente tola, cheia de esperanças e planos? Ah, se arrependimento matasse...

Sentou-se o mais confortável que pôde,esticou as pernas,respirando fundo, na tentativa de colocar alguma ordem nos pensamentos."Não se envolva. Homens machucam. Preciso te lembrar de como foi da última vez? Para ele, certamente que você é apenas mais uma da longa e óbvia lista, e nem sequer deve ser a favorita. Não importa que o beijo dele te tire do chão, você é esperta e absolutamente auto suficiente e não precisa dele para te fazer feliz. Cada minuto a mais que você der a ele vai ser uma chance a mais para ele te machucar. Está convencida?" Tudo isso ecoava em sequência ,como um mantra dentro da sua cabeça. Ela foi se sentindo forte. Abriu os olhos , alongou-se e lavantou-se. Foi até a cozinha pegar um copo dágua. Um sorriso de vitória cintilando no rosto. Abriu a geladeira,resolveu que ia fazer um jantar especial para si própria, para lembrar do quanto era bom estar consigo mesma. No meio da separação de ingredientes, o telefone tocou. Ela estremeceu ansiosa, ao pegar o aparelho e ouvir o "Alô minha linda" do outro lado, ela compreendeu que precisaria de mais do que mantras para escapar da cilada do seu coração. Ficou claro também que a paixão fazia um lindo enlace com a desrazão, e que ambas se embrulhavam aos tropeços fazendo barulho e confusão na sua tão pacata vida. E assim, sem ao menos se dar conta, já estava dizendo ao telefone: "Jantar hoje a noite? parece perfeito..."

 

 

 



publicado por Juliana Correia às 19:49 | link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Mila a 19 de Junho de 2007 às 23:33
Não entendi o comentário em meu blog hauahau
Está lindo seu texto só para variar!

Beijos Ju


De Vinicius a 20 de Junho de 2007 às 15:11
nao sei se essa frase cabe ao seu texto, mas lá vai!

“Quando tantas pessoas estão solitárias o quanto parecem, seria imperdoavelmente egoísta se sentir solitário sozinho”

Ela foi escrita por Tenessee Williams, Eu não lembro muito bem do conto que tem essa frase, eu vou pegar o livro dele aqui e vejo a relação do seu texto com o conto dele, pra ve se tem alguma. Mas a primeira coisa que me venho à cabeça quando li o seu texto, foi esta citação dele.

Beijao e fica bem!


De Danilo a 24 de Junho de 2007 às 00:32
Ju,

Simplismente perfeito.

Beijao doidhaa!


De daiani a 25 de Junho de 2007 às 00:31
Muito bom teu texto... palavras em que me senti retratada...

bjos!


De Larissa a 26 de Junho de 2007 às 15:44
nem preciso dizer, aliás eu preciso muuito dizer, q vc me fez sorrir até a bochecha doer com esse texto. n aquelas risadas escandalosas q n dá pra segurar, mas aquela risada q se ri sozinho de um pensamento feliz e q traz felicidade por alguns segundos.

eu te amo pra caralho, vc sabia?
ngm vai sentir tanto sua falta qto eu, eu na minha dependencia de um porto seguro em ocasioes constragendoras.
dá vontade de chorar... =D

BEIJO MINHA LINDA. TE AMO.


Comentar post

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

inferno astral

Descortinado

A arte do impossível.

Pouso.

Nanquim.

Brigitte Bardot

Sapatilhas.

Não é assim que a banda t...

Vulnerabilidade

História musicada auto-ex...

arquivos

Setembro 2010

Janeiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds